18 de agosto de 2005

Território Costeiro

Um dos problemas sociais mais marcantes durante os meses de Verão prende-se com o equilíbrio entre a presença na praia e a necessidade de um espaço onde caiba pelo menos uma criança em pé.

A presença de mais de 738 pessoas/m2 nas regiões da costa portuguesa é uma constante, tornando-se necessário criar métodos para a preservação do espaço pessoal que não deve em situação alguma ser invadido, quer por estranhos, quer por familiares, amigos ou simplesmente conhecidos.
Recorro-me deste espaço online para criar uma solução que permita resolver este problema que certamente perturba toda a humanidade:

"Marcação de Território"

Trata-se de um método já conhecido e frequentemente divulgado em programas da televisão pública. Penso que seja simples efectuar uma aplicação desta técnica em locais de praia.O macho dominante do grupo em questão deverá marcar a toalha de cada indivíduo do grupo (para que não subsistam dúvidas, entenda-se por "macho dominante" aquele indivíduo que controla durante mais de 95,7% do tempo o comando do televisor, ou o indivíduo que em situação alguma arruma a cozinha, com excepção do ritual de acasalamento).

O humano em questão deverá colocar a sua perna esquerda no centro geométrico da toalha, levantando a perna direita, e deverá urinar e simultaneamente efectuar um movimento de rotação para a frente.O jacto de urina deverá ser contínuo, por forma a realizar um círculo a cerca de 50 cm da toalha.Os indivíduos canhotos fazem o movimento simétrico.Por uma questão hierárquica, a primeira toalha a marcar deverá ser a do próprio macho dominante, seguindo-se as toalhas dos filhos machos. As toalhas das fêmeas deverão ser marcadas aleatóreamente.Por motivos de honra pessoal, caso não existam toalhas suficientes para todos, o macho dominante é o único membro que não deve jamais partilhar a sua toalha.

Caso um macho dominante de outro grupo faça uma aproximação à área marcada, cabe única e exclusivamente ao macho dominante do grupo actuar.Normalmente surgem duas hipóteses, caso o macho atacante seja de porte igual ou inferior, o macho local deve produzir rosnidos potentes, partindo naturalmente para a agressão no caso de não haver desistência por parte do estranho.Caso o macho atacante seja de porte superior (ou caso seja o patrão), o bom senso deve levar ao abandono do local sem qualquer demonstração de agressividade. O macho dominante só deve abandonar o local depois de toda a família e objectos pessoais terem partido.As crianças fêmeas devem ser colocadas em local protegido. As crianças macho devem ficar para assistir e aprender.

6 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Sem disse...

LOOOL
mt bom!! =D

Pato Suicida disse...

(palmas) clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap!!! (Palmas)

Humor Negro disse...

Para não falar do problema do país, ano após ano, adornar mais a sul. Aquilo que se diz ser um avanço do mar na orla marítima algarvia é nada mais nada menos que o país a dar de si com tanto labrego a fazer peso lá embaixo.

kabum disse...

hahaha brutal

Leonardo d´Ávintes disse...

É sempre uma solução viável..

Bastante bom o texto :)

Vi o teu blog na thread de "páginas pessoais/blogs" no forum techzone. Sou o 20COMER lá.
Adicionei-te aos favoritos no meu blog.

Quando puderes dá um pulo lá :)




Cumps

Leonardo d´Ávintes

 
Original template by Exotic Mommie